Cemitério da Colônia, o mais antigo de São Paulo!

Cemitério da Colônia, o mais antigo de São Paulo!

Engana-se quem pensa que o Cemitério da Consolação é o mais antigo de São Paulo, 30 anos antes, um grupo de famílias de imigrantes alemães fundou o Cemitério da Colônia!

Até o século XIX os mortos católicos eram enterrados dentro das igrejas, a explicação para isso é simples, eles passariam a eternidade em solo sagrado, protegidos por anjos, santos e é claro por Deus. Quanto mais contribuinte à caridade de sua igreja fosse o morto, mais perto do altar ele era enterrado. Mas, como podemos imaginar, o cheio não era dos melhores.

Na antiga São Paulo de Piratininga, quem não fosse católico seria enterrado no cemitério dos enforcados, na região da Liberdade. Confira uma história interessante da São Paulo de Piratininga da primeira metade do século XIX, sobre o enterro de uma pessoa não católica.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - Cemitério da Colônia, o mais antigo de São Paulo!

Foto: Henrique Granado

Júlio Frank, um alemão chegou ao Brasil em 1831, aos 22 anos, e se tornou professor na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, ele morreu jovem, aos 32 anos, e não era católico. Muito querido por seus alunos, principalmente pela criação da Bucha, um tipo de organização secreta destinada a auxiliar os alunos pobres, estes, não permitiram que ele fosse enterrado no Cemitério dos Enforcados. Ele foi enterrado no pátio da faculdade, e atualmente seu túmulo é tombado.

São Paulo recebeu um grupo de cerca de 200 imigrantes alemães, pessoas que vieram para trabalhar na agricultura e se estabeleceram na região de Parelheiros, sul cidade. A esta época, o cemitério fora das igrejas já estava se tornando uma realidade no Brasil, visto que o Dom Pedro I havia promulgado uma lei que bania os cemitérios de dentro das igrejas.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - Cemitério da Colônia, o mais antigo de São Paulo!

Foto: Vanviski

Sendo assim, criou-se a necessidade de criar mais cemitérios, tanto para os católicos, quanto para as demais pessoas da sociedade da época. Então, em 1827, em um terreno doado pelo Imperador Dom Pedro I, foi criado o Cemitério da Colônia, que ficava perto da Estrada da Colônia, a passagem imperial.

O Cemitério da Colônia, ou Cemitério de Parelheiros, como muitos o conhecem teve importância histórica para São Paulo, mas, recebeu seu último sepultamento na década de 1970, passando por um longo período de abandono, com muros caídos, acumulando lixo e entulho, o que levou ao seu fechamento em 1996.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - Cemitério da Colônia, o mais antigo de São Paulo!

Foto: Vanviski

No ano 2000, a Associação dos Cemitérios Protestantes assumiu toda a administração do espaço e o cemitério foi reaberto, com todas as suas características históricas e culturais restauradas. Em 2004, ele foi protegido pela lei de zoneamento, e incluído na Zona Especial de Preservação Cultural.

Todos os cemitérios são patrimônios históricos e culturais, além de representar a memória coletiva das pessoas sepultadas, eles também representam períodos históricos, que podem ser vistos em suas construções.

Conheça mais da história de São Paulo visitando o Cemitério da Colônia!

Serviço:
Endereço: Rua Sachio Nakao, 28 – Colônia.
Telefone: (11) 5921-9808
E-mail: [email protected]

Foto de destaque: Vanviski

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - Cemitério da Colônia, o mais antigo de São Paulo!
Um projeto que tem a cara de São Paulo 🙂
  Acompanhe também as nossas redes sociais instagram e facebook

Leave a Reply

*