CURIOSIDADESSP ANTIGO & MODERNO

Série Avenida Paulista: Luis Perroni, Madame Rosita e América

A Série Avenida Paulista desta semana contará a história de uma casa que pertenceu a Luis Perroni, onde, atualmente, no local encontra-se o Restaurante América.

Entre esses dois momentos, o lugar também foi o endereço da famosa boutique de Madame Rosita e uma agência bancária do Unibanco. Muitas histórias para contar.

Luis Perroni era um imigrante italiano que viveu mais de 50 anos no Brasil. Foi casado Com Maria Josefina Perroni e, com ela, teve 2 filhos: Domenico e Euclidia. Parte de sua família, seus irmãos, também moravam no Brasil.

Na vida profissional, Luis Perroni foi um comerciante, importador e atacadista de vários gêneros de produtos. Sua empresa chamava-se L. Perroni e Cia e ficava na Rua Boa Vista, 34 no centro da cidade.

Em nome da empresa exista um endereço na Rua da Mooca, que supomos ser um galpão de armazenagem de produtos. Ainda em seu nome, existiam muitos registros de importação de variadas mercadorias, como por exemplo, no setor de alimentação – azeite de oliva, chá, vinho, trigo, sal, doces, açúcar, ameixa, conservas, amêndoas e avelãs, cebolas, corta-alimentos, entre outros – na área de construção civil – cimento, enxada, armamento e munição, chumbo, arame farpado, grampos, além de tecidos para roupas.

temporal 500x401 - Série Avenida Paulista: Luis Perroni, Madame Rosita e América

Pelo histórico levantado a empresa de Luis Perroni passou por vários percalços, tanto das intempéries da natureza como da crise financeira. Um certo dia, São Paulo foi acometida de uma grande tempestade, que gerou um enorme transtorno para a cidade, como podemos ver na reportagem acima, e que deu muitos prejuízos à fábrica da Moóca de Luis Perroni, que ficou parcialmente destruída.

Nos anos 1920 uma grave crise econômica se instalou no pais e a empresa L. Perroni e Cia sofreu muitos prejuízos pela falta de pagamento de seus credores, chegando a pedir concordata e falência, sendo reabilitada anos depois. Essa trajetória pode ser vista nas reportagens abaixo.

falencia 500x508 - Série Avenida Paulista: Luis Perroni, Madame Rosita e América

Parece história atual, não é mesmo? Vemos que os problemas que vivemos hoje, já existiam a mais de um século.

Sobre a mansão da Avenida Paulista pouco – ou quase nada – sabemos, apenas que data de 1908 e seu projetista não foi identificado.  Não era um palacete, era uma boa casa, arborizada, construída com o que chamavam à época de “pedra artificial” (como a Casa de Josefa Gavião Peixoto, que publicamos na semana passada e você pode ler aqui). Alguém teria mais alguma informação?

img 6237 500x567 - Série Avenida Paulista: Luis Perroni, Madame Rosita e América

Neste mesmo endereço, havia um ateliê de alta costura nos anos 60, a tradicional casa de modas e peleteria, Maison Rosita. Rosa de Libman era uma uruguaia, que veio para o Brasil em 1935. Neste mesmo ano, inaugurou sua maison na Rua Barão de Itapetininga, primeiramente com foco nos artigos de pele, como visons, martas, raposas e zibelinas.

logo madame rosita - Série Avenida Paulista: Luis Perroni, Madame Rosita e América

madame rosita 500x360 - Série Avenida Paulista: Luis Perroni, Madame Rosita e América

A grife Madame Rosita fez o seu primeiro desfile profissional do Brasil em 1944. Madame Rosita foi uma pioneira da Alta Costura feminina no Brasil, seus modelos eram elegantes e muito bem-acabados e, rapidamente, conquistou uma clientela fiel. Sua oficina de costura dava trabalho a 50/60 pessoas aproximadamente.

rosa - Série Avenida Paulista: Luis Perroni, Madame Rosita e América
Madame Rosita, com suas peles, em um ambiente da Maison.

Segundo o Uol, “quando a Barão de Itapetininga deixou de ser um ponto considerado chique na cidade de São Paulo, Madame Rosita mudou-se para a Av. Paulista, primeiramente no Conjunto Nacional e em 1965 a antiga “Peleteria Americana” situada no n. 2.295 passou a se chamar “Madame Rosita”.

Uma casa nos moldes de “Celina”, em Paris, com tapetes orientais, cadeiras forradas de veludo, e antigos móveis”. Muito bem decorado e com ambientes que protegiam as roupas, inclusive, possuía frigorífico especial para as suas peles. As vitrinas expunham de forma tradicional e exibiam vestidos clássicos e uma malharia que lembrava muito Chanel.

madame rosita loja 500x184 - Série Avenida Paulista: Luis Perroni, Madame Rosita e América
Duas fotos que mostram parte da maison, a casa arredondada. Foto da esquerda de Valter Hernandez Trujillo.

Naquela época, o número da avenida já era o 2.295. O lindo casarão foi demolido em 1993 e, em seu lugar, surgiu uma agência do Banco Unibanco, com a falência a propriedade foi desativada.

america2 500x331 - Série Avenida Paulista: Luis Perroni, Madame Rosita e América

Em 2003 foi inaugurado neste endereço uma filial do Restaurante América. Com 16 restaurantes em São Paulo, a rede foi responsável por inovar em muitos itens de seu cardápio, como por exemplo, na introdução do frozen iogurte (sorvete à base de iogurte) e as famosas onion rings, deliciosas rodelas fritas de cebola empanada. Sem falar, na farofa crocante que sempre foi uma atração à parte.

Deu vontade? Então seguem informações do restaurante: Av. Paulista, 2295

Horário de Funcionamento:

11:45 às 23:30 (domingo a terça)/ 11:45 às 24:00 (quarta e quinta) /11:45 às 01:00 (sexta e sábado)

Delivery: (11) 5644-2222 / (11) 5646-2222  Horário: 11:30 às 23:30 (domingo a terça) / 11:30 as 24:00 (quarta a sábado)

america 500x331 - Série Avenida Paulista: Luis Perroni, Madame Rosita e América

 

Compartilhe!
Luciana Cotrim
the authorLuciana Cotrim
Paulistana até a alma, nasceu no Hospital Matarazzo, no coração de São Paulo. Passou parte da vida entre as festas da igreja Nossa Senhora Achiropita, os desfiles da Escola de Samba Vai-Vai e as baladas da 13 de maio no bairro da Bela Vista, para os mais íntimos, o Bixiga. Estudou no Sumaré, trabalhou na Berrini e hoje mora em Moema. Gosta de explorar a história e atualidades de São Paulo e escreveu um livro chamado “Ponte Estaiada – construção de sentidos para São Paulo” resultado de seu mestrado em Comunicação e Semiótica na PUC. É consultora em planejamento de comunicação e professora de pós-graduação no Senac.

12 Comentários

Deixe uma resposta