De Sinagoga a Museu, pelo mundo todo tem, e em São Paulo também!

De Sinagoga a Museu, pelo mundo todo tem, e em São Paulo também!

Há diversos museus ao redor do mundo que nasceram em locais onde anteriormente, eram sinagogas, num templo tombado da cidade de São Paulo, está nascendo o museu Judaico, um lugar que todos teremos que ver.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - De Sinagoga a Museu, pelo mundo todo tem, e em São Paulo também!

Em 1928 a construção do tempo Beth-El foi iniciada, num local onde havia grande número de imigrantes judeus, como as famílias Klabin, e Lafer, era realmente necessário haver uma sinagoga, um templo, onde todos pudessem se reunir e fazer suas orações.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - De Sinagoga a Museu, pelo mundo todo tem, e em São Paulo também!

O projeto do tempo Beth-El é de Samuel Roder, nascido em Kiev em 1896, vindo de uma família abastada, ele se formou na Escola de Belas Artes da Academia Imperial de Kiev, viajou pela Europa e Estados Unidos, e finalmente chegou ao Brasil. No período da Revolução Russa, ele ficou por aqui, e começou a trabalhar na Companhia City de onde saiu para abrir seu próprio escritório e trabalhar com arquitetura.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - De Sinagoga a Museu, pelo mundo todo tem, e em São Paulo também!

Beth-El, foi construído por iniciativa da Comunidade Israelita Ashkenazim, que representava a elite da comunidade judaica, na São Paulo de 1920. O projeto tem 7 lados, um número muito presente na cultura judaica, como eles dizem, o algarismo dominante dos ciclos naturais, como os 7 dias da criação, ou as 7 cores do arco íris.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - De Sinagoga a Museu, pelo mundo todo tem, e em São Paulo também!

O tempo é projetado ao estilo Bizantino, fato que, segundo historiadores, ao longo dos séculos, serviu como linguagem universal entre muçulmanos, judeus e cristãos na Palestina. Então, ter esse estilo no tempo Beth-El, remete aos fundamentos da religião e da cultura, mantendo um judeu, sempre judeu, mesmo com a modernização da sociedade.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - De Sinagoga a Museu, pelo mundo todo tem, e em São Paulo também!

Este tão famoso e singular tempo foi tombado, e passa por diversas reformas, com o intuito de modernizar e preservar, diversos renomados profissionais de arquitetura participam do projeto de revitalização, que transformará o tempo no Museu Judaico de São Paulo.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - De Sinagoga a Museu, pelo mundo todo tem, e em São Paulo também!

Projeto

As obras avançam a passos largos, e em breve, o local que era uma sinagoga abrirá como o Museu Judaico de São Paulo e vai contar com um acervo de mais de 2 mil itens, que não param de chegar.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - De Sinagoga a Museu, pelo mundo todo tem, e em São Paulo também!

Projeto

Dentre as peças que poderemos ver, um Talit, que é um xale de rezas com mais de 150 anos está presente, há também talheres, documentos e diversos objetos vindos de campos de concentração, itens de culto religioso e uso cotidiano, trazidos por imigrantes, e agora doados ao Museu.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - De Sinagoga a Museu, pelo mundo todo tem, e em São Paulo também!

Acervo Museu Judaico São Paulo

Visitar um museu não é simplesmente ver objetos, é conhecer uma cultura, um povo. No caso do Museu Judaico de São Paulo, é conhecer, ver de perto, itens de um povo que passou por muitas coisas, e, portanto, certamente, tem muita história para contar e muito ensinamento a transmitir.

Serviço:
Rua Martin Prado, 128
Telefone: 11 3258-1396
www.museujudaicosp.org.br

  Acompanhe também as nossas redes sociais instagram e facebook
yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - De Sinagoga a Museu, pelo mundo todo tem, e em São Paulo também!
Um projeto que tem a cara de São Paulo 🙂

Leave a Reply

*