RAPIDINHAS

Minha casa meu chefe

foto: Divulgação welcomechef

Sair para comer em São Paulo é algo tão natural para a maioria dos paulistanos natos ou adotivos, que nós nem notamos que vivemos em uma cidade faminta e com cidadãos famintos, o paulistano não consegue sair de casa sem dar uma paradinha na padaria, no boteco, no restaurante, na praça de alimentação do shopping e agora nos food trucks, fazemos jus a máxima que comer e coçar é só começar.

mini caprese e pesto Chef Bruna Leite Welcome Chef 1 500x334 - Minha casa meu chefe
Foto: Divulgação

Mas no paraíso das delicias e gordices o paulistano apressado nem sempre fica feliz e a cidade pode ser injusta com o passeio, seja pelo trânsito impertinente, as filas ou na busca pela vaga perfeita, eis que uma idéia vinda de fora e que já existia há muito tempo com outro nome toma força na cidade e vem na salvação dos nossos aflitos e preguiçosos glutões, com vocês o “Chefe em Casa”.

Os movimentos da gastronomia nem sempre são imediatos e às vezes uma idéia leva anos e os mais diversos motivos para acontecer, e nesse caso não é diferente. Mas quem são, é o que são os personal chefes. Vamos lá, antigamente boa parte da classe média brasileira e paulistana tinha empregados domésticos dedicados as artes culinárias às cozinheiras de forno e fogão, que eventualmente faziam um extra, vendendo seus produtos para as amigas das suas patroas, o tempo passou e a gastronomia foi conquistando outro lugar na sociedade, os tempos mudaram e algumas dessas cozinheiras e outras pessoas apaixonadas pelas artes do fogão passaram a viver de forma profissional vendendo seus produtos para o mercado doméstico e eis que nasciam as banqueteiras ainda muito presentes nas cidades do interior. Novamente o tempo passa e surgem os Buffets, para atender todo tipo de evento, casamentos festas de debutantes e aniversários em geral, celebrações que antigamente se faziam em casa, e passaram a ser realizadas em locais com uma estrutura própria para essa finalidade e as nossas cozinheiras e banqueteiras acabaram indo trabalhar nesses locais para poder sobreviver.  Porém as grandes estruturas deixaram um espaço para os pequenos eventos que não eram interessantes aos grandes Buffets, e ai as banqueteiras começam a encontrar seu nicho de mercado, com o passar do tempo lá pelos anos 90 surgem, de forma mais profissional com os chamados mini Buffets atendendo a demandas pequenas e clientes com um ar mais exclusivo, eis que ao mesmo tempo a gastronomia surge como a nova profissão da juventude, e muitos jovens estudantes trocam suas carreiras para serem felizes atrás das panelas.

foto gpsbrasilia 500x274 - Minha casa meu chefe
Foto: gpsbrasilia.com

Mas o mundo das cozinhas profissionais e dos restaurantes estrelados exige força, suor e lagrimas, e muitos jovens chefes não se encaixam nesse perfil, eis que surge então o personal chefe, que vem atender uma dupla demanda a demanda dos clientes que procuram quem possa fazer um jantar para dois ou para 20 com todo o toque do chefe de cozinha, e a do profissional liberal que cozinha por prazer e que não quer estar preso à rotina de um restaurante ou ser apenas o executor de uma receita. O personal chefe quer ser o idealizador de novas receitas, por em pratica as técnicas que aprendeu fora do país e se dedicar a busca do sabor autoral.  Mas como tudo ocorre de forma silenciosa algumas pessoas começaram a notar que o Personal chefe briga contra a corrente e que pode ser mais interessante se ele se unir a outros chefes em um cardume gourmet, e foi assim que nasceram as plataformas gourmets, a idéia veio de fora, mas basicamente é o conceito da troca de dados entre o chefe e o cliente, ou seja, uma pessoa ou empresa monta uma carteira de clientes, e uma carteira de chefes associados ou parceiros e faz a troca entre o que os clientes buscam, e aquilo que os chefes ofertam, embora este conceito em São Paulo seja bem novo já apresenta um crescimento expressivo tanto por parte dos chefes parceiros quanto por parte das plataformas. Mas não confunda com um delivery, cada chefe tem seu cardápio sua metodologia e faz questão de ela seja respeitada, cabe ao cliente o planejamento da data do seu evento e grande maioria não aceita encomendas com menos do que 24 ou 48 horas de antecedência, os serviços incluem as compras dos ingredientes, o preparo dos pratos o serviço a mesa e a limpeza do local que fica como se nunca tivesse sido utilizado, o cliente por sua vez escolhe o cardápio desejado informa o local e número de convidados, e faz o pagamento via cartão de crédito e da até para dividir a conta, as plataformas fazem a ponte financeira entre o chefe e o cliente, auxiliam os chefes na estrutura do evento e os clientes na busca do perfil do chefe que melhor se encaixe no que se procura. Gostou da idéia que tal sair para jantar em casa…

blog da mariah decor decoracao jantar em casa 3 500x334 - Minha casa meu chefe
foto: blogdamariah.com

Algumas empresas e plataformas que prestam esse serviço em São Paulo

Welcome Chef
www.welcomechef.com.br

Dedo de Moça
www.dedodemoca.net

Meu Bistrô
www.meubistro.com

Compartilhe!
Fabrizio Naturalli
Formado em panificação e confeitaria, trabalhei como confeiteiro em navios de cruzeiro por 4 anos. Conheci o mundo e vi que o mundo está em São Paulo. Voltei a capital, fiz uma pós em gestão de de negócios da gastronomia e atualmente concluo a pós em gestão de pessoas. Sou apaixonado pela cidade e tudo o que ela oferece.Fabrizio também é dono da página Gastronomia do seu jeito.

Deixe uma resposta