GASTRONOMIA

São Paulo Gourmet

texto1 - São Paulo Gourmet

Não é por acaso que São Paulo é Gourmet, já que o paulistano é gourmand. Calma, isto não é um rótulo, e nem mesmo uma depreciação da nossa cena gastronômica. Vamos apenas acompanhar os fatos: nossa cidade é conhecida e se orgulha por sua variedade de estabelecimentos, por ter um serviço de alimentação 24hs, frenética em suas veias culturais e seus movimentos sociais.  Sendo a gastronomia um traço de nossa cultura e um reflexo da nossa miscigenação não é de se espantar que o paulistano, até pouco tempo acostumado apenas a comer pastel, logo aprendeu a provar a tapioca. Ao viajar, se deparou com macarrons, sentiu o cheiro dos cupcakes e se arriscou em uma paleta mexicana, mas faltou tempo, por que o nosso querido glutão quis tudo ao mesmo tempo. O gourmand é um guloso simpático e rechonchudo que sabe o que é bom e não tem medo de se arriscar, já que obedece a lei do estômago. Nossas padarias, por exemplo, que, aliás, estão sendo exportadas a outras cidades e estados, mais parecem templos da comilança, com vitrines brilhantes e balcões reluzentes onde na mesma fila em pé de uma democrática igualdade o pão doce ou a rosca de coco descansam ao lado de brownies ou muffins a espera do seu gourmand habitue.

Sair para comer em São Paulo é tão natural como abrir a porta da nossa casa, e o nosso gourmand refém do seu maior amigo, o estômago, prova tudo por onde passa, e logo não hesita em indicar aos seus amigos glutões lugares e petiscos que conheceu. Nasce, assim, uma demanda de novos produtos e novos lugares. E, dessa forma, alguns gourmands percebem a carência de seus iguais, e correm em socorro dos seus pares, pesquisam tudo o que encontram, especializando-se na arte de atender seus próprios desejos, trazendo mil variedades de brigadeiros ou duzentas opções de coxinhas, regadas a sucos exóticos e refrigerantes desconhecidos. O gourmand faz da cidade um retrato gourmet da sua fome, traz ao conhecimento de todos nós – desde finos conhecedores a meros transeuntes –  as sensações do comer bem. Afinal, quem consegue se imaginar hoje em uma São Paulo insossa?! Então, mesmo que a escolha seja entre a feira de rua ou os food parks, os finos empórios ou a kombi de dog prensado, ainda podemos nos deparar também com restaurantes estrelados e escolher onde saciar a nossa fome.

Fabrizio Naturalli.

Compartilhe!
Fabrizio Naturalli
Formado em panificação e confeitaria, trabalhei como confeiteiro em navios de cruzeiro por 4 anos. Conheci o mundo e vi que o mundo está em São Paulo. Voltei a capital, fiz uma pós em gestão de de negócios da gastronomia e atualmente concluo a pós em gestão de pessoas. Sou apaixonado pela cidade e tudo o que ela oferece.Fabrizio também é dono da página Gastronomia do seu jeito.

Deixe uma resposta