“Viveram pouco para viver bem, morreram jovens para viver sempre”

“Viveram pouco para viver bem, morreram jovens para viver sempre”

É assim que o visitante é recepcionado na entrada do Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista de 1932, popularmente conhecido como o Obelisco do Ibirapuera por sua localização, a frase escrita na fachada sobre os arcos é em homenagem aos estudantes Mário Martins de Almeida, Euclides Miragaia, Dráusio Marcondes de Sousa e Antônio Camargo de Andrade, cujas iniciais formam a sigla MMDC, um dos símbolos da revolução juntamente com o próprio obelisco.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - "Viveram pouco para viver bem, morreram jovens para viver sempre"

Foto: Heudes Regis

 

Depois de mais de uma década fechado, ele passou por um grande processo de restauração e reabriu para visitação no final do ano passado. O Obelisco é um monumento funerário projetado pelo escultor ítalo-brasileiro Galileo Ugo Emendabili e executado por Ulrich Edler, engenheiro alemão radicado no Brasil, tombado pelos conselhos Estadual e Municipal de Preservação de Patrimônio Histórico, ele guarda os restos mortais dos estudantes, assim como, de outros ex-combatentes. Suas medidas fazem referência à principal data da Revolução Constitucionalista de 1932: o dia 9 de julho de 1932, a começar pelo tamanho da área onde foi construído, um terreno de 1932m², ele é o maior monumento da cidade com 72m (7+2=9) de altura, possui ainda a largura da cripta em cruz medindo 32m, a base quadrangular maior com 9m e a menor com 7m entre outros exemplos.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - "Viveram pouco para viver bem, morreram jovens para viver sempre"

Foto: Jornal Zona Sul

 

 

As três capelas do salão principal representam o nascimento, o sacrifício e a ressurreição de Cristo e fazem associação com a história da cidade através de sua fundação, a revolução e a publicação da Constituição de 1934, respectivamente. Os painéis da abóbada e da cripta são feitos de pastilhas de mosaico veneziano, no meio do salão está a escultura do herói jacente onde estão sepultados os estudantes, estando ao seu lado, ao olhar para cima é possível ver a parte interna do Obelisco até seu final.

 

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - "Viveram pouco para viver bem, morreram jovens para viver sempre"

Foto: Robson Fernandjes | Fotos Publicas

 

Do lado externo do monumento iniciando pela face norte, encontram-se figuras de combatentes em alto-relevos acompanhadas das inscrições do poema de Guilherme de Almeida, o poeta da Revolução de 32, conforme texto abaixo:

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - "Viveram pouco para viver bem, morreram jovens para viver sempre"

Foto: Galileo Emendabili – Esculpindo São Paulo

 

“Aos épicos de julho de 32, que,

fiéis cumpridores da sagrada promessa

feita a seus maiores – os que

moveram as terras e as gentes por

sua força e fé – na lei puseram sua

força e em São Paulo sua Fé.”

 

 

 

 

 

 

 

 

Obelisco – Mausoléu do Soldado Constitucionalista de 1932

End.: Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Vila Mariana

Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 16h.

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - "Viveram pouco para viver bem, morreram jovens para viver sempre"
Turismóloga que é São Paulo até no time de futebol, por muito tempo ajudou turistas a descobrirem as belezas da cidade trabalhando nas centrais de informação turística, e assim pode também conhecer e admirar cada vez mais tudo o que ela tem a oferecer.
  Acompanhe também as nossas redes sociais instagram e facebook

Leave a Reply

*