CULTURACURIOSIDADES

Mirante do Vale, o maior arranha-céu da cidade

Despercebido por muitos, os maiores arranha-céus da cidade não são os famosos Altino Arantes (Banespão), ou o Edifício Itália, mas sim o Mirante do Vale, que fica na região central da capital. A população tem uma ideia errada sobre o maior edifício da cidade, pois ele está localizado em uma parte de baixo relevo, na região do Vale do Anhangabaú.

O prédio foi projetado pelo arquiteto Waldomiro Zarzur, e sua construção se deu na década de 60, mais precisamente entre 1960 e 1966. Sua construção como de todos os edifícios da cidade provocou muita revolta e preocupação da população, pois naquela época, um edifício de tamanha magnitude, ser construído de concreto e não de estrutura metálica era considerado um risco enorme à cidade, porém, mesmo altamente criticado, Zarzur não se deteve, e continuou até o prédio ficar completamente pronto.

Mirante do Vale 3 1 C Queiroz Flickr - Mirante do Vale, o maior arranha-céu da cidade
Mirante do Vale – Foto: C_Queiroz (Flickr)

Ao finalizar, após alcançar os 170 metros de altura, ele tomou o lugar do Edifício Altino Arantes, que desde sua inauguração em 1947 detinha o posto de prédio mais alto.
Juntamente com o título de maior prédio de São Paulo, ele se tornou o maior prédio do país, posto que manteve por 48 anos, até 2014, quando foi inaugurado o Millenium Palace, em Balneário Camboriú na região sul do Brasil, com 177 metros.

Mirante do Vale 4 1 commondatastorage - Mirante do Vale, o maior arranha-céu da cidade
Mirante do Vale e Viaduto Santa Efigênia – Foto: Commondatastorage

Apesar de ser pouco reconhecido ou chamar atenção na vista da cidade, trabalham dentro do prédio cerca de 10.000 pessoas, em suas 812 salas comerciais e 3 andares com mais de 100 lojas, contribuindo fortemente com a economia da região. É literalmente um gigante escondido na selva de pedras.

Infelizmente o edifício não é aberto para visitação de turistas, mesmo durante os finais de semana.

Compartilhe!
Alison Lima
the authorAlison Lima
Natural de Guarulhos/SP, 23 anos, formado em engenharia elétrica e atua no setor automotivo. Um admirador de grandes metrópoles e todas as suas peculiaridades. São Paulo é o lugar ideal, onde há o encontro e mistura de tudo e todos, 24 horas por dia, 7 dias da semana. É uma cidade única, feita para qualquer um se apaixonar.

19 Comentários

  • O Edifício Altino Arantes, inaugurado em 1947 por Ademar de Barros quando este era governador de São Paulo, foi durante mais de uma década o mais alto da cidade, até ser superado pelo Mirante do Vale, em 1960.

  • Só acho uma vergonha que o maior edifício da cidade não receba visitantes em seu topo!Com o sucesso do evento da Heineken os administradores podiam fazer algo por conta ou ceder o espaço para outra empresa explorar o topo que tem um espaço top e uma vista show da cidade. São Paulo City podia dar uma mãozinha nisso, inclusive… Nosso turismo ia agradecer muito!!!!!!!!!

  • O código civil precisa ser alterado para permitir a construção de edifícios de qualquer “altura”,
    Seria o fim da máfia do ISS que taxa as construções por e acima de 25 andares

  • Visitei o Mirante do Vale no último domingo, a festa da Heineken foi realizada no Topo do prédio, e posso assegurar, é vista é incrível, mais bela que do Martinelli e que do Banespão. Quem quiser ver a foto, acesso meu Instagram @overflavio. Abs!

  • Não quero desmerecer o tópico, pelo contrário, quero fazer um alerta! O Mirante do Vale NUNCA foi o maior prédio de São Paulo nem do Brasil e eu vou explicar os por quês: Apesar de existirem sites como Emporis e Wikipédia que o apontam com a altura de 170 metros, ele não tem essa altura. A altura real dele é de 134 metros! Antes de me esculacharem, leiam os meus argumentos: 1º – verificação in loco, ou seja, quando você está na “base” dele no ponto mais baixo que é na Avenida Prestes Maia e olha para cima até o topo do edifício, você facilmente percebe que ele não é maior do que o Edifício Altino Arantes (Banespa) nem que o Edifício Itália, aliás, existem outros edifícios na cidade maiores do que o Mirante além dos dois citados: como exemplo temos um que está ao lado dele que é o Edifício Banco do Brasil, com 143 metros. 2º – apesar de ele estar situado em um “vale”, esse argumento não se sustenta quando você olha para outros dois edifícios próximos a ele chamados Edifício Grande São Paulo e Edifício Mercantil Finasa: ambos possuem a altura de 129 metros e também estão situados no “vale” e ao olhar os três edifícios de longe (Mirante, Gde SP e Mercantil), você vê que eles possuem a “mesma” altura, ou seja, para que o Mirante tivesse 170 metros de altura, seria necessário que ele estivesse situado numa “base” de 41 metros abaixo desses dois, o que fica bem fácil notar no Vale do Anhangabaú que não é verdade: a diferença das “bases” é de no máximo 5 metros. 3º – Ferramenta do Google Earth que mede a altura dos prédios: basta vocês acessarem o Google Earth e posicionar o visor no topo do prédio para vocês verem a altura dele em relação ao nível do mar e após isso posicionar o visor na base dele: a diferença entre a altura do topo e a altura da base é igual a altura do edifício. Com isso, chegamos (eu e mais foristas do Skyscrapercity no tópico Brazil Tallest Buildings) a altura final de 134 metros. Só para “matar a curiosidade” de vocês, fizemos a medição em outros prédios de São Paulo e do Rio com essa ferramenta do Google Earth: Banespão 167 metros (mastro – esse sim foi o maior do Brasil durante muitos anos) e 154 metros (telhado); Torre Norte do CENU: 157 metros; Edifício Itália: 158 metros (antena) e 150 metros (telhado); UNIP Unidade Paraíso: 229 metros (antena GIGANTE); Complexo Cidade Jardim: 148 metros; E-Tower: 149 metros; Ponte Estaiada: 138 metros; Rio Sul Center: 164 metros (telhado – esse também foi o maior do Brasil considerando o telhado); Lélio Gama 105ST: 148 metros; Edifício Copan: 124 metros; Edifício Ipiranga 165: 114 metros… Após isso vieram os edifícios de Balneário Camboriú, o Órion de Goiânia e o Tour Genevê de João Pessoa, mas há dois edifícios em construção pela Porte Construtora que vão passar dos 165 metros: Figueira: 167,70 metros (Rua Itapeti – Tatuapé) e Platina 220: 171,74 metros (ao lado do Shopping Metrô Tatuapé).

Deixe uma resposta